Entrar Registrar

Entrar

Na produção ensaísta sobre a trajetória política brasileira, o clientelismo sempre foi uma importante chave de interpretação da dinâmica das relações sociais e políticas no país.Apesar disso, o clientelismo passou a ocupar um lugar secundário na Ciência Politica brasileira, pelo menos desde a redemocratização, quando as atenções dos especialistas se voltaram para outro conjunto de questões, relativas ao desempenho do arranjo institucional inaugurado em 1988. Na literatura internacional, contudo, o tema vem despertando renovado interesse, que se justifica pelo fato de o clientelismo se mostrar como uma forma resistente de intermediação de interesses capaz de prosperar em diferentes cenários políticos e condições socioeconômicas.

Com base nas pesquisas e estudos mais recentes sobre o tema, este artigo pretende lançar novas luzes sobre o clientelismo a partir de um conjunto inédito de dados resultante de um survey com 422 vereadores de 44 municípios brasileiros. O survey apresenta informações sobre as relações cotidianas entre representantes e representados no nível local, os tipos de demandas apresentadas aos primeiros e as formas pelas quais os representantes buscam atender às demandas dos eleitores. A pesquisa permite analisar a frequência e a intensidade das relações clientelistas e o papel de variáveis centrais como o porte do município e o nível de pobreza para explicar a extensão do comportamento clientelista entre os legisladores locais. No nível individual, buscamos investigar como algumas características dos representantes os tornam mais ou menos propensos a se engajar neste tipo de relação com os eleitores.

 

Download do artigo